Restaurante em Okinawa proíbe entrada de japoneses e gera reclamações

Com informações Alternativa.jp

Um restaurante de lámen na ilha de Ishigaki (Okinawa) gerou polêmica e reclamações depois que o proprietário decidiu proibir a entrada de japoneses no estabelecimento, informou a emissora Nippon Terebi nesta segunda-feira (15).
Apenas estrangeiros que visitam a ilha turística têm permissão para comer no restaurante. Um aviso na porta diz que nem mesmo os antigos frequentadores que moram em Ishigaki podem entrar no local.
O restaurante Yaeyama Style adotou a medida no início deste mês e pretende manter a proibição em relação aos japoneses até o fim de setembro.
O dono do estabelecimento, Akio Arima, disse que uma parte dos clientes japoneses se comporta indevidamente. Ele reclamou, por exemplo, das pessoas que entram no restaurante trazendo comida e bebida de fora.
Por outro lado, Arima, que é japonês, ressaltou que o comportamento dos estrangeiros tem melhorado bastante.
O dono disse, ainda, que grupos de japoneses entram no restaurante mas apenas alguns fazem pedidos de lámen e os outros ficam apenas conversando.
“O meu restaurante tem apenas oito cadeiras enfileiradas em um balcão. Se as pessoas não fizerem pedidos e só ocuparem espaço não tenho como lucrar”, disse.
Diariamente, Arima recebe ligações de japoneses que ficaram sabendo da medida pelas redes sociais, dizendo que o mau comportamento de apenas uma pequena parte dos clientes não deve ser generalizado.
Desde que o restaurante iniciou a proibição, o movimento caiu bastante. As vendas diárias de lámen chegavam a ¥40 mil, mas agora não passam de ¥4 mil. Mesmo assim, o dono não pretende tirar a proibição antes dos três meses previstos.