Recorde: Japão chega a quase 3 mil infecções de coronavírus em um único dia

Silvio Mori / Tóquio – Na última quinta-feira (10) , o Ministério da Saúde do Japão divulgou o novo recorde de infectados pelo Coronavírus no país, 2.973 novos casos em um único dia. O aumento dos casos nos últimos meses aumentou a preocupação do governo em relação as condições hospitalares e como o país está agindo para conter a pandemia.  

Segundo as autoridades, casos da Covid-19 tem aumentando também em regiões consideradas livres de aglomerações, como Hiroshima, Kochi e Fukuoka.

Um painel do governo metropolitano de Tóquio monitorando a pandemia avaliou que se tornou “difícil” para os hospitais fornecer serviços de saúde e tratamento para pacientes com COVID-19 ao mesmo tempo. Especialistas estão pedindo a todo momento a colaboração da população, evitando aglomerações e tomando as medidas necessárias afim de evitar novos casos, principalmente, no feriado de final de ano.  

Em Tóquio, foi registrado um novo recorde, 602 casos em um único dia, elevando para 45.529 casos confirmados na capital do país, sendo a mais atingida das 47 prefeituras japonesas. O governo metropolitano no mês passado,  elevou seu alerta de vírus ao mais alto dos quatro níveis e solicitou que restaurantes e outros estabelecimentos que servem bebidas alcoólicas fechassem às 22h até 17 de dezembro.

Grandes cidades em Hokkaido, assim como áreas urbanas como Tóquio e Osaka, têm visto casos crescentes de coronavírus desde novembro, que foram descritos por especialistas médicos como uma “terceira onda” de infecções no Japão.

A preocupação os novos casos vem desde de novembro, quando os números dispararam em todo o país. No dia 25 de novembro, o ministro responsável pelo combate ao coronavírus havia alertado sobre a disseminação do vírus.

“As próximas três semanas serão críticas para prevenir a disseminação do vírus e proteger o sistema médico do país”, disse Yasutoshi Nishimura. 

O governo de Hokkaido, a principal ilha ao norte do país, decidiu na quinta-feira solicitar aos residentes que se abstenham de fazer passeios desnecessários até 25 de dezembro nas cidades de Sapporo e Asahikawa, que sofreram pressão em seus sistemas de saúde.

“É doloroso este pedido, mas a medida visa proteger a vida e a saúde do povo de Hokkaido”, disse o governador da província, Naomichi Suzuki. “

A decisão foi tomada um dia depois que enfermeiras da Força de Autodefesa Terrestre do país começaram a trabalhar nas instalações em Asahikawa, depois de serem enviadas à cidade para ajudar a lidar com a falta de profissionais de saúde.