Japonês vira guardião de povoado abandonado na selva amazônica

Airão Velho é um povoado do Estado do Amazonas. Ele viveu seu apogeu há mais de um século. Desde então, os moradores emigraram, simbolizando sua decadência. Hoje em dia, Shigeru Nakayama é um dos únicos habitantes do local.

Shigeru Nakayama é japonês e chegou ao Brasil há mais de 50 anos, quando o Japão passava por uma grave crise econômica. Ele, que hoje está com 62 anos, nasceu em Fukuoka.

Nakayama inicialmente viveu no Pará, mas, na década de 70, partiu, com um grupo de amigos, para a Amazônia. Estabeleceu-se, então, às margens do icônico Rio Negro.

Airão Velho já se encontrava abandonado, quando Nakayama ali chegou, em 2001. O lugar, que fica a 180 km da capital Manaus, teve seu auge durante o período que ficou conhecido na história brasileira como “Ciclo da Borracha”.

Nakayama diz que seu sonho de criança era viver na Amazônia. Para morar em Airão Velho, precisou enfrentar o mato que já tinha dominado todo o local, após o seu abandono. Mora numa casa pequena de madeira, com três cômodos e chão de terra. Come o que planta e diz que teme que, quando morrer ou sair dali, Airão Velho seja novamente esquecido.

FONTE: Globo