O Japão endureceu suas regras sobre os certificados de teste de coronavírus que precisam ser apresentados por todos os passageiros na chegada aos aeroportos japoneses. A medida foi adotada nesta segunda-feira (19/4) e aqueles que não atenderem às condições exigidas, em princípio, terão sua entrada negada no país.

Desde março, o Japão pedia às companhias aéreas que negassem o embarque de passageiros sem resultados negativos no teste de coronavírus obtido 72 horas antes da partida.

Até domingo, as autoridades de quarentena do país, no entanto, ainda permitiam que aqueles que tinham vindo ao Japão com certificados insuficientes ficassem em uma instalação designada e refizessem um teste de coronavírus após três dias.

Segundo a agência Kyodo News, as autoridades disseram que esse tratamento alternativo não estará mais disponível, já que o país sofre com o aumento de infecções

Para entrar no Japão, o passageiro precisa obter um certificado que comprove resultados negativos para o vírus com base em amostras de nasofaringe ou saliva, que devem ser coletadas até 72 horas antes da partida. Os testes de antígenos ou anticorpos como certificados não são aceitos para entrar no país.

Devido a disseminação do vírus, o Japão atualmente só permite a entrada de cidadãos japoneses e estrangeiros residentes, bem como de estrangeiros “em circunstâncias especiais excepcionais”.

O Japão também está solicitando às companhias aéreas nacionais e estrangeiras que restrinjam o número de passageiros que planejam entrar no país.