Com comerciantes fechando, Feria Central corre risco de acabar em Campo Grande

Pandemia agravou problemas financeiros dos feirantes que atuam no local

TopMídiaNews


A Feira Central de Campo Grande corre o risco de fechar definitivamente por causa da crise econômica derivada da pandemia do novo coronavírus.

Segundo a assessoria da instituição, cerca de 40% dos empreendimentos estão fechados, sem funcionar devido à crise sanitária, e outros estão encerrando permanentemente as atividades.

Além disso, cinco funcionários da administração do local foram dispensados na tentativa de conter gastos.

Em 2017, um estudo realizado pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) já apontava decadência do serviço por problemas na estrutura física da feirona.

A situação piorou desde então, uma vez que até hoje os empresários aguardam os investimentos, que dependem de licitação.

Conforme a assessoria, a Feira Central é o único negócio de Campo Grande que possui 97 anos de inventário e continua em pé, mas com dificuldades.

“Além de estar instalado em uma região antiga da cidade, o empreendimento está envelhecido e, em 14 anos, nunca passou por uma revitalização”, diz.

Os comerciantes pedem socorro do poder público para sobreviver a mais esse contratempo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.