Por Silvio Mori – Direto do Japão

O revezamento da tocha olímpica que está percorrendo o Japão contou com a participação de brasileiros residentes no país, sendo uma vitrine da participação do Brasil nos jogos de Tokyo 2020.

Bruna Noguchi, 22, carregou a tocha em Oizumi, província de Gunma. Na cidade 11% dos residentes são brasileiros e a participação da conterrânea foi motivo de orgulho.

“Eu senti muita orgulhosa e responsabilidade também, eu fiquei muito feliz de mostrar através da minha corrida, carregando a tocha a alegria dos brasileiros. É a minha personalidade, eu fui criada numa casa brasileira morando no Japão”, disse. 

Bruna Nguchi carregou a tocha na cidade de Oizumi, Gunma. (Foto: Tokyo2020)

A vontade de Edvaldo Oshiro, 56, era pular a grade de proteção e tocar na Tocha, mas foi contido pela esposa. Morando há 23 anos em Gunma, ver a brasileira carregar um dos símbolos das olimpíadas,  foi um momento único.

“Foi um momento histórico que vai ficar marcado na minha vida, na vida da nossa comunidade. Muito orgulho em ter uma brasileira carregando a tocha, foi um privilégio presenciar tudo de perto”, explicou.

Na região de Aichi, onde está a maior concentração  de brasileiros residentes no Japão, cerca de 60 mil,  coube ao brasileiro Chrystoffer Akira Ykemoto representar a comunidade verde amarela. Apesar de morar na Capital do país, ele preferiu a região, onde cresceu e passou a infância.

“Me sento mais conectado com Aichi do que Tokyo”, justificou.

O brasileiro fez o percurso em Inuyama com um misto de sentimentos e feliz pela realização do revezamento.

“Fiquei muito feliz, emocionado e honrado. Acho que falta palavras para descrever essa emoção. Não passava pela minha cabeça que pessoas não famosas pudessem carregar a tocha”, disse.

Chrystoffer Akira Ykemoto carregou a tocha em Aichi. (Foto: Arquivo pessoal)

O revezamento contou também com a participação de outro brasileiro, Eduardo Lagares do Nascimento, que carregou a tocha na província de Tochigi.

 A próxima a carregar a tocha será Taeko Kimura,21, brasileira residente em Kosai, na província de Shizuoka. Morando no Japão há mais de 10 anos ela aguarda ansiosa para participar do revezamento.

“Minhas expectativa é alta. Dá um orgulho em representar um país que é bonito por natureza, é belo. Um sentimento muito bom”, disse.

O revezamento da tocha estava programado para percorrer as 47 províncias do Japão, mas teve seu primeiro cancelamento em Osaka, devido ao aumento de infecções pelo coronavírus.

O percurso da tocha olímpica em Tokyo, no dia 23 de julho, na abertura oficial dos Jogos Olímpicos.