Brasileiro ilegal no Japão chora ao receber atendimento médico gratuito

Toride – A NPO Kita-kanto Iryo Soudankai de Ota (Gunma) realizou uma sessão de consultas médicas gratuitas com estrangeiros em processo de deportação no Japão. A entidade atendeu 28 pessoas de 13 nacionalidades na cidade de Toride (Ibaraki), no último domingo (20), informou o jornal Asahi.
Sem autorização de permanência no país, os estrangeiros estavam detidos na imigração, mas conseguiram liberdade provisória devido a problemas de saúde.
Em reportagem ao jornal Asahi, um brasileiro de 31 anos chorou com a oportunidade de atendimento gratuito. O homem, que não teve o nome identificado, é um descendente que veio ao Japão aos 13 anos de idade, acompanhado da mãe.
Porém, aos 19 anos, ele foi preso por envolvimento em um roubo. Após cumprir pena, o brasileiro recebeu ordem de deportação e ficou detido na imigração, mas conseguiu liberdade provisória há três anos por causa de problemas de saúde.
Por estar ilegal no país, ele não pode trabalhar e também não possui seguro de saúde. Sem condições de pagar consultas em um hospital, o homem relatou problemas frequentes de dor de estômago e nenhuma perspectiva de tratamento.
“Não se preocupe, vamos indicar um bom hospital para você”, disse um médico ao brasileiro, que derrubou lágrimas após ouvir essas palavras.
A entidade, que também é conhecida como “NPO Amigos”, realizou as consultas gratuitas e indicou aos estrangeiros hospitais que atendem pacientes a baixo ou nenhum custo, de acordo com as condições financeiras.
A organização funciona desde 1997 e é mantida através de doações. “Os estrangeiros em liberdade provisória estão em uma ‘fresta’ do sistema, onde são abandonados pelo governo e correm risco de morrer por não receberem nenhum tipo de assistência”, comentou o líder da NPO, Masataka Nagasaka.
De acordo com os dados do Escritório de Imigração do Japão, até o ano passado, 3.606 estrangeiros estavam em liberdade provisória. Com o aumento no número de estrangeiros no Japão, este dado cresceu 2,2 vezes desde o ano de 2010.
Os estrangeiros em processo de deportação podem se inscrever no sistema de liberdade provisória quando sofrem de algum problema de saúde, mas precisam atualizar a inscrição em prazos curtos.
Alguns destes estrangeiros já estão há mais de 10 anos em situação de liberdade provisória, sem encontrar soluções para as questões de saúde.
Para quem gostaria de ajudar a NPO Amigos ou obter mais informações sobre os atendimentos médicos, é possível entrar em contato pelo número 080-5544-7577.