O governo japonês decidiu flexibilizar as regras de quarentena para pessoas que entram no país que foram vacinadas contra COVID-19 a partir de 1º de outubro, encurtando o período necessário para o auto-isolamento em casa de 14 para 10 dias.

Segundo o  secretário-chefe do gabinete, Katsunobu Kato, As pessoas que foram totalmente vacinadas poderão sair de casa contanto que o teste seja negativo para o vírus, 10 dias após sua chegada.

As vacinas aceitas são as desenvolvidas pela Pfizer Inc., Moderna Inc. ou AstraZeneca Plc, e um “passaporte de vacina” emitido ou reconhecido pelo Japão é necessário.

Pessoas que chegam de alguns países, que o Japão vê como tendo um risco elevado de introdução de variantes do coronavírus, como Grã-Bretanha e Índia, precisaram passar os primeiros três dos 14 dias em uma instalação designada pelo governo, mas não serão mais obrigados a fazê-lo se estão totalmente vacinados.

Em relação a outros nove países, o Japão apertou as regras de quarentena para os viajantes, que agora precisarão passar os primeiros seis dos 14 dias em uma instalação designada pelo governo (antes eram apenas três dias e mais 14 dias em casa), sem isenções para aqueles que tomaram as duas vacinas.

Os países são Argentina, Brasil, Costa Rica, Colômbia, Peru, Filipinas, Suriname, Trinidad e Tobago e Venezuela.

Atualmente, o Japão não permite a entrada de estrangeiros, em princípio, com as chegadas limitadas principalmente a cidadãos japoneses e estrangeiros que já moram no país.

Kato disse que as regras de quarentena relaxadas foram as primeiras de uma série de etapas em “uma revisão de nossas medidas de fronteira”.

“No futuro, consideraremos permitir a entrada dependendo da situação do COVID-19 no exterior, ao mesmo tempo em que tomaremos medidas incluindo restrições de movimento e testes”, disse ele.