Número de trabalhadores brasileiros no Japão aumenta 10 % em meio à falta de mão de obra

Tóquio – O número de trabalhadores estrangeiros no Japão atingiu um recorde de cerca de 1,28 milhão no final de outubro, em meio ao envelhecimento da sociedade e ao emprego de estagiários e estudantes de outros países para compensar a falta de mão de obra, informou o Ministério do Trabalho na sexta-feira (26).

O número aumentou 18% em relação ao ano anterior, para 1.278.670, o maior desde que os dados comparáveis foram disponibilizados, em 2008, segundo a agência de notícias Kyodo.

Por nacionalidade, os trabalhadores chineses constituem o maior grupo, com 372.263 pessoas, um aumento de 8% em relação ao ano anterior, seguido por vietnamitas, cujo número subiu 40%, para 240,259, representando 35% do aumento total.

Os filipinos aparecem em terceiro lugar, com 146.798 pessoas e aumento 15,1%, seguidos por brasileiros, com 117.299 (crescimento de 10%) e dos nepaleses, com 69.111 (aumento de 31%).

Os residentes permanentes e os descendentes de japoneses aumentaram 11% em relação ao ano anterior, para 459.132, enquanto que os bolsistas com licença de trabalho de meio período cresceram 24%, para 259.604, e os estagiários tiveram aumento de 22%, para 257.788.

Atrás de um mercado de trabalho crescente em meio à recuperação econômica do Japão, muitos estagiários e estudantes estrangeiros estão envolvidos em mão de obra não qualificada com baixos salários para preencher a grave falta de trabalhadores.

Enquanto o governo japonês abriu suas portas a trabalhadores estrangeiros especializados em tecnologia da informação e em outros campos, o país não recebe oficialmente trabalhadores não qualificados para evitar debates sobre política de imigração.

Esses especialistas compõem um grupo pequeno e muitos são contratados por pequenas empresas com menos de 30 funcionários, de acordo com o ministério.

Especialistas e estudiosos destacam a necessidade do Japão estimular mais discussões sobre a política de imigração, em meio ao envelhecimento da sociedade e à diminuição da população.

Fonte: Anternativa.co.jp