Morre aos 90 anos artista plástico Masahiko Fujita

Telas de Fujita retratavam nossa cidade
Telas de Fujita retratavam nossa cidade

Japonês nascido em Tóquio, seu Fujita foi tenente da Marinha, esteve à frente na Segunda Guerra Mundial pelo país de origem. Aqui, ele chegou aos 38 anos, na década de 60 e transformou em trabalho o que era hobby: o desenho e a pintura. Fujita tinha preferência por retratar paisagens urbanas, fez inúmeras telas exaltando Campo Grande.

 Como mestre, ensinou alunos ao longo dos anos a magia que provocava a junção pincel e tela. Foi professor até os últimos três meses, na Arquitécnica, quando a idade avançada e a saúde já não permitiam mais. A imagem que ilustra a matéria foi fotografada em fevereiro de 2013. Seu Fujita ao lado de um navio de imigrantes com uma bandeira do Brasil.

Ao comprador da tela, ele discorreu sobre o quadro, chamado “Zarpar navio imigrante M. S. Brazil Maru”, que se tratava da embarcação de imigrantes Brasil-Maru e que representava a ele uma tristeza muito grande, dos últimos momentos dos passageiros do navio com a família e os amigos, que depois ficariam para trás.

Os prédios e o céu de Campo Grande na tela de Fujita.
Os prédios e o céu de Campo Grande na tela de Fujita.

Fonte: Paula Maciulevicius/Campo Grande News