Para não perder a visão, jovem Nikkei faz campanha na internet para arrecadar R$ 15 mil

Reprodução: Facebook

Para tentar salvar a visão, a jovem nikkei Mariana Akahoshi Pedroso, de 28 anos, moradora de Anastácio, resolveu fazer uma campanha na internet e arrecadar o montante necessário para o tratamento.

Mariana sofre de degeneração macular, o que causa muita dor e deixa o olhar embaçado, o que pode levar a perda da visão. A descendente de japonesa já sofre de surdez parcial, provocada por meningite bacteriana quando ainda tinha apenas um ano. Para evitar a perda, são necessárias quatro aplicações do medicamento Eylea, que custam no total o valor de R$ 15 mil.

“A degeneração macular é mais comum em pessoas idosas, raros em pessoas mais novas. Por isso, não existe uma classificação Internacional de doenças (CID) e nenhum plano cobre esse tratamento”, explicou.

Com o custo alto e sem o valor necessário, a saída encontrada foi criar a “vaquinha solidária” na internet. A descendência japonesa não foi dificuldade para colocar a campanha em prática, mesmo com críticas contrarias.

“O que eu tenho é como se fosse uma degeneração macular por idade, mas só tenho 28 anos. Não existe um CID [Classificação Internacional de Doenças] para essa doença e plano nenhum cobre. Fiquei sem chão. Quem é que tem R$ 15 mil disponível? Por isso fiz a vakinha solidária. Pedi R$ 15 mil para garantir as três primeiras aplicações, mas só depois saberei se precisarei de mais ou se estarei curada”, explica.

Mariana é casada e mora com o marido em Anastácio – distante 131 quilômetros de Campo Grande, onde realiza consultas com especialistas e fará o tratamento.

De ascendência japonesa, a dona de casa diz que sofreu preconceito logo que surgiu a ideia de pedir ajuda para custear as aplicações, porém, os apoios recebidos superaram às críticas.

“Por ser descendente de japoneses, as pessoas acham que temos dinheiro, que japonês guarda dinheiro debaixo do colchão. Não é bem assim. Eu não tenho condições e nem minha família, e o tratamento tem que ser rápido. Senti vergonha sim, mas foi a única forma que pensei em arrecadar a quantidade rápida, pela urgência”, disse.

A vaquinha começou no último dia 14, e na manhã desta quarta-feira (19), já contabiliza R$ 11 mil. Quem deseja ajudar pode contribuir com doações através do site Vakinha Solidária. Para mais informações podem ser obtidas pelo contato: (67) 98112-9603.