Japão quer atrair mão de obra estrangeira

Governo japonês aprova lei que amplia concessão de vistos a trabalhadores pouco qualificados. Mudança busca preencher vagas em áreas com escassez de mão de obra, como construção, agricultura e assistência a idosos.O governo japonês aprovou nesta sexta-feira (02/11) uma lei que permite ampliar a concessão de autorização de residência a trabalhadores estrangeiros pouco qualificados. A medida é voltada para suprimir a escassez de mão de obra no país.

A reforma legislativa, cuja ratificação parlamentar está prevista para o próximo mês, representa uma mudança significativa na restritiva política migratória japonesa. A imigração tem sido um tabu no país, onde muitos defendem a homogeneidade étnica, porém o envelhecimento populacional está mudando essa visão.

“A escassez de mão de obra começa a criar um obstáculo importante para o crescimento econômico. Vamos criar um sistema migratório adequado”, declarou o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, ao apresentar a legislação numa comissão parlamentar.

A medida facilitará os requisitos de entrada e de residência por até cinco anos para quem deseja trabalhar em setores com alta escassez de mão de obra. Para isso, os requerentes desse tipo de visto precisam ter conhecimento do idioma japonês. Esse visto, no entanto, não permite a união familiar.

A lei também facilitará a entrada e concederá residência permanente a estrangeiros altamente qualificados. Nesse caso, o visto possibilita que o solicitante se mude com a família para o Japão.

Diante de críticas da oposição e de sindicatos sobre o impacto social e laboral da reforma, o ministro japonês da Justiça, Takashi Yamashita, afirmou que não se trata de “aceitar imigrantes de forma aleatória”.

O porta-voz do executivo, Yoshihide Suga, assegurou numa coletiva de imprensa que serão tomadas as medidas necessárias para “garantir o mesmo tratamento aos trabalhadores estrangeiros e japoneses”.

Algumas organizações humanitárias e profissionais também criticaram a nova legislação advertindo para a ausência de políticas destinadas a favorecer a integração dos imigrantes e a permitir a sua estada no país a longo prazo.

Em 2017, o Japão possuía 1,28 milhão de trabalhadores estrangeiros, o que representa 2% da força de trabalho total do país, um dos menores índices entre as nações mais desenvolvidas. Com a nova lei, o governo pretende atrair 500 mil imigrantes até 2025.

A reforma legislativa deve ser definitivamente aprovada no Parlamento japonês antes do próximo dia 10 de dezembro, e a sua entrada em vigor está agendada para abril de 2019.

 

Fonte: CN/efe/lusa/rtr/dpa

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.