Aliança Cultural homenageia cônsul Takahiro Nakamae

No último dia 30, foi a vez da Aliança Cultural Brasil-Japão prestar uma homenagem ao cônsul geral do Japão em São Paulo, Takahiro Nakamae, que está retornando neste domingo, 9, ao Japão após quase quatro anos n o Brasil – considerando o tempo que ficou em Brasília. A entrega da placa ocorreu no Consulado Geral do Japão em São Paulo, na Avenida Paulista, e contou com a presença da Diretoria da ACBJ e do vereador Aurélio Nomura, líder do Governo na Câmara Municipal de São Paulo, além de nomes que farão parte do Centro Cultural Pinheiros, entre eles o produtor e adminstrador cultural, Jo Takahashi – que será o curador de Arte e Cultura do novo Centro Cultural – e o músico Shen Ribeiro.

Além de uma placa, Nakamae foi presenteado também com um dicionário e um álbum de fotos assinadas pelo fotógrafo Jiro Mochizuki com registros de sua visita ao Centro Cultural ainda em obras.

Presidente da instituição, Yokio Oshiro agradeceu a participação do cônsul na construção do Centro Cultural Pinheiros, que será inaugurado no próximo dia 29, conforme antecipou o Jornal Nippak, e lembrou que, em fevereiro, o Consulado Geral do Japão e a ACBJ celebraram um acordo com a doação de US$ 67.430,00 em equipamentos audiovisuais.

“Leve no seu coração que a sua pessoa estará presente na inauguração pois a conclusão das obras só foi possível graças a generosa colaboração do povo japonês. Não se trata somente da doação de um recurso financeiro e sim a confiança depositada no projeto”, disse Oshiro, lembrando que “a partir do momento que, tanto o governo como o povo japonês entraram no projeto, demandou um compromisso por parte da Aliança”. “Foi um estímulo adicional para todos nós para nos esforçarmos ainda mais para que nada saísse errado”, explicou Oshiro.

Apresentado em maio como um dos novos conselheiros para reforçar o quadro da instituição neste novo ciclo que se inicia após as comemorações do 60º aniversário de fundação, Tério Uehara disse “sou testemunha que, nesses dois anos de convivência com a comunidade nipo-brasileira, o cônsul Takahiro Nakamae despertou em muitos o verdadeiro sentimento da identidade japonesa e a vontade de querer continuar trabalhando em prol da preservação e divulgação da cultura japonesa”.

Referência – Descontraído, o cônsul Takahiro Nakamae brincou que trabalharia até o último dia no cargo porque, “depois do dia 30 de junho passaria a receber por dia”. Brincou também com o pedido do presidente da Aliança, Yokio Oshiro, que solicitou ao cônsul para que pendurasse o quadro “num cantinho de sua casa”. Nakamae observou que “outro dia liguei para minha família, que mora numa pequena casa na capital japonesa, avisando que estava retornando e pedi, por favor, deixe preparado um espaço para eu dormir”. “Meu filho disse, aqui não tem espaço não. [mas vou encontrar] Quem sabe no escritório do novo trabalho, na casa dos meus pais, em Hiroshima, ou onde tiver um espaço suficiente na parede. Não será fácil, mas esta homenagem merece um esforço especial”, afirmou Nakamae, admitindo depois que ficou surpreso com a homenagem.

“A Aliança Cultural Brasil-Japão, que tem uma história de 60 anos, tem uma contribuição inegável no ensino da língua e da cultura japonesa aos brasileiros. Agora, ao iniciar um novo ciclo para o desenvolvimento dos próximos 60 anos, está prestes a inaugurar um novo Centro Cultural. É uma pena que eu não possa participar da cerimônia de inauguração pois foi uma honra trabalhar ao lado dos meus colegas para que o governo japonês participasse desse projeto”, disse Nakamae, que desejou sucesso nesta nova etapa da história da Aliança Cultural, “agora dentro de um novo ambiente”.

 

 

Reportagem: Aldo Shiguti / Jornal Nippak