A cultura Pantaneira em uma noite de festa

Homem Pantaneiro faz sua apresentação durante a festa. (Foto: Silvio Mori)

Para o turista que visita o Pantanal de Mato Grosso do Sul, um atrativo a mais em seu roteiro é a “Noite Pantaneira”, que acontece na Pousada Pioneiro, localizada na BR-262, no município de Miranda.

A ideia que surgiu há seis anos foi da empresária Cristina Moreira, que comanda a pousada herdada dos pais. Tudo começou com um restaurante que se expandiu com uma loja de artesanato, uma operadora de turismo e na sequencia a Pousada.

“Sempre atendemos os ônibus de turismo, a terceira idade e os pescadores. Os turistas se hospedavam aqui, mas não tinham nada pra fazer a noite, porque aqui é um ponto de passagem. Um dia coloquei uma musica ao vivo e com a nossa visão de turismo, chamamos o pantaneiro e assim começou”, explica.

Uma apresentação indígena, por índios da aldeia de Miranda-MS. (foto: Silvio Mori)

A noite pantaneira tomou outra proporção e virou um produto. Tem decoração temática e oferece aos visitantes comidas típicas e muita animação. Tem ainda apresentação do “Pantaneiro”, danças dos índios apresentado por membros da aldeia de Miranda e música com artista regional.

Segundo Cristina, o evento agregou muito para o turismo na região. “Nós não tínhamos um produto cultural até então, esse era nosso objetivo. Já estamos inclusive no calendário cultural do Ministério do Turismo, como um produto de Miranda”, disse.

 

Terezinha e Wagner vieram do Espírito Santo para conhecer o Pantanal e adoraram a “Noite Pantaneira”.

O casal carioca de professores, residentes no Espírito Santo, Wagner Amado Alves e Terezinha das Graças Amado Alves, ambos de 65 anos, afirmam que viajam bastante pelo Brasil e pela primeira vez no Pantanal, ficaram admirados com a valorização do regional. “Uma cultura muito pé no chão. Uma coisa que me surpreendeu aqui, uma ideia que eu não tinha, é esse orgulho da cultura indígena. A única coisa que sabemos é que tinha conflito e a realidade é outra”, disse. Wagner.

“Eu como professora vou ter a oportunidade de mostrar o que é o Pantanal, porque eu só falava o que tinha nos livros. Vivenciei tudo, andei até de cavalo”, declarou Terezinha.

A Noite Pantaneira acontece todos os meses com datas pré-agendadas, para mais informações: (67) 9-9986-1716